두부조림- Receita de Dubu-jorim (ou como quem diz: tofú braseado picante)

Hoje trago uma receita ótima para os meus leitores vegetarianos e para aqueles que querem experimental algo diferente. Este prato coreano pode ser servido com arroz simples ou massa uma vez que já é bastante condimentado por si só. Também podem optar por uma versão sem picante. É uma receita muito simples, rápida e muito saborosa que também pode ser consumida fria, o que a torna excelente para levar para o almoço no trabalho.

Precisam de:

  • 1 embalagem de tofú (500 gramas aproximadamente)
  • Óleo de girassol
  • 1 colher de sopa de sementes de sésamo
  • 1 alho picado
  • Meia cebola picada
  • Cebolinho q.b.

Para o molho misturem numa taça à parte:

  • 1 colher de sopa de molho de soja
  • 1 colher de chá de açúcar
  • 1 colher de sopa de pasta de pimento vermelho
  • 1 colher de chá de pimentão doce
  • 1 colher de chá de piri-piri (opcional)
  • Meio copo de água

 

Lavem o tofú e sequem-no com papel de cozinha o melhor que conseguirem e cortem-no aos quadradinhos. Numa frigideira anti-aderente aqueçam um bocadinho de óleo de girassol e coloquem os quadradinhos de tofú nessa frigideira, com cuidado. Deixem cozinhar até estar dourado de um lado e depois virem os quadrados um por um, para cozinhar uniformemente. O objetivo é deixar o tofú ligeiramente crocante por fora.

Transfiram o tofú para um prato à parte e reservem a frigideira com o óleo restante.

Coloquem a cebola, o alho e algum cebolinho na frigideira e deixei caramelizar.

Depois adicionem o molho, mexendo sempre até reduzir e engrossar. Por último basta juntar os quadradinhos de tofú na frigideira, esperando que o tofú absorve o molho. Juntem as sementes de sésamo e o resto do cebolinho por cima e está pronto a servir.

 

O meu cartão de memória decidiu que queria ser Houdini hoje e fez desaparecer as minhas fotos mais recentes. Assim não tenho fotos minhas dos passos para partilhar aqui mas deixo-vos uma do amigo google para orientação. dubujorim-insta-620x349

Anúncios

(A)Provado: O Macarrão de Estaline

A Bertrand ofereceu um livro ao meu namorado, Jorge, por ele ter participado num concurso que EU lhe mostrei. Foram queridos e enviaram o livro “O Macarrão de Estaline” de Jon Rönström. O livro é uma compilação de receitas que foram um acompanhamento na história mundial. A receita das panquecas da Rosa Parks, o que foi servido no primeiro jantar dos óscars, a salada de camarão do Kurt Cobain (que foi encontrada escrevinhada como nota num dos seus blocos), entre muitas outras receitas curiosas encontram-se aqui.

Desde sempre que a comida aproxima pessoas, gerações e culturas por isso não é de estranhar que este livro ressoe em mim desta maneira tão peculiar. Assim, decidimos experimental o tal macarrão de Estaline, apesar de ser muito simples de fazer, eu, com os meus poderes de chef principal, claro que pedi ao subchefe Jorge para cortar a cebola (os namorados também impedem as namoradas de chorar por isso era um trabalho 2 em 1). Foi o macarrão que Estaline, Churchill e Roosevelt partilharam durante a Conferencia da Crimeia em 1945 e assim faz sentido que o ingrediente secreto seja molho inglês.

lidow_2016118144636210

Opinião do subchefe/consumidor/Jorge: “Era bom. Não era gorduroso e é uma refeição rápida”.

Está (a)provado!

.. ..

 

—————————

Bertrand, a portuguese editor, gave my boyfriend Jorge a book because he enterer a contest that I told HIM about. They were very sweet and sent us the book “O Macarrão de Estaline” (Stalins Makaroner it’s the original name because I don’t think there is an English version yet). The book is a gathering of recipes that were a side dish in world’s history. Rosa Parks’ pancakes, what was served in the 1st gala of the Oscars, the shrimp salad of Kurt Cobain (that was found scribbled between his notes), between many other interesting recipes that are found here.

Food always brought people closer, generations and cultures together so it’s not so strange to think that this book has this quirky effect on me. So we decided to try this pasta recipe, and although it’s very simple to make, I, with my main chef powers, asked sub chef Jorge to chop the onions for me (boyfriends have the task to prevent girlfriends from crying so it was a 2×1 job). This was the pasta that Stalin, Churchill and Roosevelt shared during the 1945’s Crimea Conference, making sense that the secret ingredient is English sauce.

lidow_2016118144636210

Sub chef/eater/Jorge’s opinion: “It’s good. It wasn’t greasy and it’s a fast meal”.

It’s Approved!

.. ..