Oscars, DiCaprios e outras considerações

Estamos muito perto dos Oscars e este ano a questão “será que é desta, DiCaprio?” mantem-se. Portanto aqui ficam algumas considerações sobre esta gala e opiniões que não serão assim tão populares.

oscars-for-everbody

  • Apesar de achar que o Oscar de melhor filme vai ser atribuído ao The Revenant, ainda acho também que este filme é um exemplo perfeito de que bom realizador + bons atores + boa fotografia nem sempre equivale a uma boa narrativa. Os aspectos visuais eram excelentes, sempre com um elemento de surpresa porém não achei o argumento propriamente inovador.
  • A prestação do Tom Hardy foi superior à do Leonardo DiCaprio, no mesmo filme, pelo que este deverá levar para casa a estatueta de melhor ator secundário.
  • Não, acho que o Leo ainda não vai ganhar este ano, e apesar de estar a torcer pelo Redmayne (ainda vou fazer uma review da Danish Girl apesar de já estar atrasada) ainda acho que vai ser o Fassbender o vencedor da noite. Porquê? Não sei, palpites (afinal é para especular que servem os oscars).
  • Brie Larson, claro. The girl is on a hot hair balloon and the only way is up. Se bem que também a Saoirse (mas esta já ganha por ter um dos melhores nomes Europeus).
  • É um bom ano para girl power, todas as prestações foram óptimas, e aponto a Alicia Vikander para melhor atriz secundária (é, tenho mesmo de fazer a review do Danish Girl). Ofereço uma menção honrosa a Jennifer Jason Leigh pela participação no Hateful Eight. Nunca vi personagem mais fora do comum que a dela.
  • Tenho especial consideração pela categoria de animação. Não há grandes surpresas aqui, infelizmente os estúdios grandes arrecadam sempre os prémios, não que não sejam merecidos, mas o estúdio Ghibli já merecia algum reconhecimento ocidental, especialmente agora que está em vias de desligar as luzes. Assim não me espanta que os dois grandes deste estúdio tenham recusado a proposta da academia para fazerem parte do júri.
  • Espero que o Mad Max colecione algumas estatuetas em aspectos mais técnicos e o Star Wars na melhor banda sonora.
  • O guarda-roupa este ano é de quem o apanhar mas acho que o The Renevant vai ter os braços mais longos.
  • O tema polémico da falta de diversidade nos Óscars este ano é, na minha opinião, propositado. Já viram o Beasts Of No Nation? Não? Então vão ver e depois venham cá falar comigo sobre o Idris Elba. Entre representatividade e oportunidade de papeis multirraciais ficamos com excelentes actores desvalorizados. Mas o Chris Rock não vai deixar passar isto ao lado. 82412-Idris-Elba-JUDGING-YOU-gif-RTIO

Conclusão: Os Oscars refletem uma opinião de um certo grupo específico de pessoas, não devendo ser considerados como um selo de aprovação definitivo do que é bom ou mau. Ou do que é melhor sobre o outro. Pessoas diferentes sentem filmes diferentes de forma diferente e o que a academia considera melhor não tem de ser necessariamente o melhor para o espectador. Penso que os Oscars deveriam ser uma celebração do que melhor se faz na sétima arte e não uma competição tão acesa como é agora. Toda a gente gosta de ver o seu trabalho reconhecido claro mas, por exemplo no caso do Leonardo DiCaprio, se ainda não for este ano que o moço ganha o tão almejado Oscar, não faz dele um actor inferior ao que eventualmente ganhe. Não devia ser a opinião das pessoas que consomem os filmes mais importante que a opinião de meia dúzia de homens de meia idade? Ninguém é dono da arte, e como em todas as outras 6 artes, é tudo muito subjetivo.

Ps.: Esperem os memes segunda, com ou sem Oscar. BREAK THE INTERNET LEO!